Olabi – Somos todos makers

gallery post
gallery post
gallery post
gallery post
gallery post

Infinitas possibilidades de criação e invenção gestadas em locais inusitados tais como pequenas garagens, cômodos esquecidos no fundo do quintal, salas apertadas, laptops ligados madrugada adentro em quartos de jovens e adolescentes, celulares conectados em praças com wifi…

Pode parecer estranho, mas muitas das inovações tecnológicas e soluções criativas que têm surgido no mundo nascem a partir de ferramentas simples e cada vez mais acessíveis às pessoas, pelos quatro cantos do mundo.

De olho nesta força criativa praticamente infinita, que desbanca grandes players da indústria na busca de saídas para diferentes questões tecnológicas e sociais, foi criado o Olabi – um espaço de experimentação que investe na cultura do “faça você mesmo”. Ou, como define sua coordenadora Gabriela Agustini, “um espaço dedicado ao fazer, pensar, refletir e prototipar um mundo mais justo, mais humano e mais divertido…”.

De arduínos a impressoras 3D, passando por aplicativos, programas de e-commerce, robôs e drones, até produtos menos tecnológicos (mas não menos impactantes) como shapes de skate, peças de croché, objetos de marcenaria ou roupas feitas à mão, tudo o que pode ser criado e modificado tem espaço no Olabi.

“Queremos que as pessoas se apropriem das tecnologias, sejam elas quais forem”, explica Gabriela, que também é organizadora do projeto De baixo para cima. “A ideia é estimular a busca de soluções inovadoras, a baixo custo, utilizando as ferramentas disponíveis. Isto, sem dúvida, é uma forma de empoderamento pois ajuda a deslocar o eixo das decisões das grandes corporações para as pessoas comuns”, completa.

Qualquer um pode

E sem essa de pensar que para criar soluções inventivas ou aprender a montar uma engenhoca tecnológica é preciso ser um nerd ou pequeno gênio da informática. Qualquer um (mesmo) pode se aventurar na cultura maker. Não à toa que estes espaços crescem exponencialmente nos mais diferentes países, fomentando uma verdadeira rede de fazedores pelo mundo afora.

Assim, grupos de discussão, cursos, workshops, rodas de conversa, debates, palestras, tutoriais, vivências para colocar a mão na massa e trocas horizontais de informação são recursos plenamente utilizados e estimulados pelo laboratório – que também presta consultorias para empresas, instituições e governos, fazendo a ponte entre inventores e players da cadeia produtiva.

Na origem do Olabi (cujo nome foi inspirado na ideia de laboratório, como um espaço de experimentação) está o Templo – um local gestado como coworking que rapidamente evoluiu para uma comunidade de empreendedores, que opera em rede e se pauta pela colaboração entre seus membros.

Embora esteja voltado para o empreendedorismo e a busca de novas formas de gestão e relações de trabalho, os mesmos os princípios de estímulo à criatividade do Olabi estão no DNA do Templo – tanto que o Olabi surgiu como seu braço de tecnologia e inovação e funciona em sua sede em Botafogo. Bem no espírito de colaboração que norteia e empodera os novos fazedores.

Comentários

comentários

'